[Clipping] Destaques de setembro/2020

Sobem casos de tuberculose entre migrantes em Manaus

O número de casos de tuberculose entre migrantes aumentou em Manaus. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) da capital amazonense, divulgados pelo G1, em 2019, foi registrado o maior número da doença entre migrantes. Foram 37 casos. Em 2020, outros 36 casos foram registrados. Ao todo, há 2.347 notificações em 2019, acima da média anual de 2.296. A população migrante é considerada uma população vulnerável à doença por causa do processo de deslocamento, situações de estresse pela falta de alimentos, dificuldade de comunicação, condições de moradia e trabalho precárias. A aglomeração e a infraestrutura sanitária precária são outros fatores que podem levar a deficiências no sistema imunológico.

Refugiados venezuelanos podem contribuir para desenvolvimento do Brasil

Refugiados venezuelanos podem contribuir com aspectos culturais e políticos, além de mão de obra especializada em vários setores para o desenvolvimento do Brasil. É o que revelam pesquisadores ligados à Universidade de Brasília, com o apoio da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e da delegação da União Europeia no Brasil, que analisaram o perfil de refugiados e imigrantes venezuelanos que conseguiram negócios no Brasil. De acordo com matéria divulgada pela Agência Brasil, os setores onde mais investiram foram de alimentos (restaurante e produtos alimentícios) e serviços pessoais, com destaque para cabeleireiro, barbearia e manicure.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Refugiados sírios apresentam cultura com aulas de dança, culinária e idioma

O artigo “Ensinar para aprender a viver em um novo mundo”, publicado na revista Cadernos Ceru traz experiências de refugiados sírios no Brasil que oferecem aulas de dança, de culinária e do próprio idioma. De acordo com o site do Jornal da USP, a professora Célia Regina Toledo Lucena, do Centro de Estudos Rurais e Urbanos (Ceru) da USP, aborda alguns dados de uma pesquisa feita por organizações de migrantes na cidade de São Paulo. Segundo a autora, é preciso pôr em pauta como se dá o processo de “replantar” a cultura do refugiado em outro país, já que “as identidades contemporâneas são instáveis, multiculturais e ‘além fronteiras’”. A autora afirma ainda que “as práticas culturais vivenciadas em outro contexto estimulam a imaginação, a inventividade, a criatividade e a troca de informações e saberes”.

Rondônia inaugura central de informação para migrantes e refugiados

O governo de Rondônia inaugurou uma central de informações para migrantes e refugiados sobre serviços públicos federais, estaduais e municipais. A central também fará o encaminhamento para a rede de atendimento em Porto Velho. De acordo com o portal Tudo Rondônia,  mais de 3 mil migrantes, entre venezuelanos e haitianos, vivem atualmente na capital do estado.

Paraguai pede ajuda à população ao reabrir fronteira com o Brasil

Depois de seis meses de fronteira fechada, o governo do Paraguai pediu ajuda à população para evitar a disseminação da pandemia de Covid-19. A reabertura da fronteira com o Brasil está prevista para os próximos dias. De acordo com matéria do Uol, a reabertura foi decidida após protestos de associações empresariais e trabalhadores informais da região.

Fronteira de Brasil e Bolívia é reaberta para moradores fronteiriços

A fronteira da Bolívia com o Brasil por Corumbá foi reaberta em setembro para moradores das cidades de Corumbá e Ladário e de Puerto Suárez e Puerto Quijarro. A medida não interfere nas normas federais. De acordo com o Diário Corumbaense, é necessária a apresentação de documentos de residência fronteiriça e a travessia é possível em horários limitados. A fronteira entre os dois países estava fechada desde março por conta da pandemia de Covid-19.

Fernanda Paraguassu
Jornalista e pesquisadora do Grupo Diaspotics



Categorias:imigrantes

Tags:, , , ,

%d blogueiros gostam disto: