ANTILUSITANISMO E LEGISLAÇÃO NA HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO EM PERNAMBUCO

A presente dissertação aborda a imigração portuguesa para Pernambuco no periodo que corresponde ao final da Segunda Guerra Mundial até 1964, ano em que o Brasil deixou de ser o destino preferencial dos imigrantes lusitanos.

O ponto de partida é a discusão sobre os episódios de antilusitanismo na história de Pernambuco, com atenção especial para o “mata-marinheiro” de abril de 1931, evento marcado como a última manifestação antilusitana na capital pernambucana. A década de 1930, com a subida de Getúlio Vargas ao poder, inaugura uma nova fase para o movimento imigratório português, ampliando os privilégios legais aos nascidos em Portugal. Com o fim da Segunda Guerra, os numeros da imigração, que haviam decaído no fim da década de 1920, voltam a crescer trazendo ao país um imigrante de perfil distinto.

Com o auxílio de estatísticas portuguesas e brasileiras, esse trabalho tem como principal objetivo fornecer as bases para a compreensão dessa imigração através do estudo quantitativo no contexto de uma análise histórica de perfil social. Para tanto, analisam-se as listas de passageiros de 1.166 desembarques no Porto do Recife durante o período estudado, confrontando essas informações com os relatos dos imigrados desse período e que formam a comunidade portuguesa em Pernambuco.

Luiz Paulo Pontes Ferraz

Acesse aqui a dissertação em PDF

%d blogueiros gostam disto: