DIÁSPORA LIBANESA PARA FOZ DO IGUAÇU E A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE DO IMIGRANTE

O Líbano Ausente e o Líbano Presente: espaço de identidades de imigrantes libaneses em Foz do Iguaçu

A diáspora libanesa é o tema central dessa tese, que teve especificamente o fluxo orientado para Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil – na fronteira com o Paraguai e a Argentina – como assunto de debate. A imigração árabe em geral e a libanesa especificamente é estudada por diferentes pesquisadores no Brasil, usualmente com o foco voltado a um grupo que chegou ao país na virada dos séculos XIX – XX, de origem cristã, dedicados à mascateação e hoje amplamente aculturados.

Em comparação a isso, e descortinando novas perspectivas aos estudos sobre a migração/diáspora libanesa ao Brasil, a comunidade em questão é mais recente (inicia-se por volta dos anos de 1950 e se dá até os dias de hoje), formada sobretudo por muçulmanos e por profissionais de diferentes áreas, com destaque para o comércio transfronteiriço. As características observadas nesse grupo, tais como a dupla lealdade entre o país de origem e o de destino, o constante contato com o Líbano, as muitas instituições organizadas e mantidas por ele, o número de elementos e sua flagrante visibilidade levam a distingui-la como diaspórica, usando as reflexões contemporâneas do termo.

A teorização que envolve os conceitos de diáspora e imigração, e posteriormente as ideias relacionadas à identidade cultural imigrante foram os tópicos que balizaram essa pesquisa que teve como objetivo central a investigação das relações diaspóricas entre o Brasil (Foz do Iguaçu) e o Líbano no que diz respeito da construção da identidade cultural de imigrantes e seus descendentes. Para tal, foram feitas leituras sobre os assuntos já mencionados, privilegiando autores dedicados à perspectiva dos ‘estudos culturais’ tanto brasileiros como estrangeiros, interessados em casos nacionais ou não. Também realizou-se entrevistas com imigrantes e descendentes de libaneses em Foz do Iguaçu sobre os assuntos que se julgou pertinentes para o objetivo mencionado, tais como: motivação para emigrar; redes de contato e vivência na comunidade libanesa de Foz do Iguaçu; constituição da identidade libanesa em Foz do Iguaçu; transmissão da identidade para gerações nascidas no Brasil; visibilidade e invisibilidade da comunidade; e redes familiares na diáspora.

Esses temas, aliados aos estudos sobre o Líbano e Foz do Iguaçu (a título de compreensão e contextualização dos lugares envolvidos/vividos no estudo), e compreensão ampla dos conceitos-chave permitiram uma profunda análise de dados a fim de concluir e validar a tese que ora se apresenta. Desse modo, este estudo coloca Foz do Iguaçu no mapa dos estudos dedicados à diáspora libanesa no Brasil.

Poliana Fabíula Cardozo

Acesse aqui a monografia em PDF

%d blogueiros gostam disto: