INTERPRETAÇÃO DAS PRÁTICAS COMUNICATIVAS DE HAITIANOS EM CURITIBA

O Haiti em Curitiba: um olhar interpretativo das práticas comunicativas dos haitianos no novo território

Este trabalho de dissertação analisa os processos comunicativos que haitianos residentes em Curitiba (capital do Estado do Paraná) estabelecem entre si e a sociedade, buscando responder como tais processos contribuem na reconstrução identitária destes sujeitos migrantes no novo território. O campo de análise da pesquisa privilegiou a atuação das organizações de apoio aos migrantes, ao partir do pressuposto que elas desempenham um papel fundamental na consecução desta reconstrução. Para realizar esta análise foi fundamental empreender um percurso etnográfico junto a essas organizações e junto a um grupo de haitianos que circulam em tais espaços e, posteriormente, fazer entrevistas com representantes destes segmentos, a fim de compor um trajeto metodológico à luz da Hermenêutica de Profundidade, apresentada por Thompson (2011). Contudo, para a realização desta abordagem hermenêutica, foi necessária a construção de um contexto teórico de caráter sócio-histórico, mas que tem nas características culturais um ponto nevrálgico frente à relação dos novos fluxos humanos pelo globo. Neste sentido, a pesquisa inicia-se teoricamente com a reflexão dos processos de globalização no mundo contemporâneo, pela perspectiva das minorais culturais e suas construções identitárias e passa, em outro capítulo, por uma contextualização histórica e sociológica de processos migratórios no Brasil, Paraná, Curitiba e no próprio Haiti. Entre esses dois capítulos, estabelece-se, como um corte na organização textual, mas que é ao mesmo tempo um marco de ligação entre as vias teóricas e metodológicas, o momento comunicacional, uma vez que são objeto dessa dissertação as práticas comunicativas dos haitianos em Curitiba, entendendo a comunicação desde a ideia de processo de interação social na sociedade midiatizada. Com isso, a pesquisa também busca responder se as práticas comunicativas desses migrantes são práticas midiatizadas. Buscou-se dar as respostas às questões propostas em um momento reinterpretativo, a partir do viés qualitativo da pesquisa em questão. Ao final, pode-se concluir, de forma ampla, que as organizações de apoio demarcam um importante locus de reconhecimento identitário, assim como os processos de midiatização emergem nas interações dos haitianos que vivem em Curitiba por meio de novas sociabilidades e modos de ser migrante.

Otávio Cezarini Ávila

Acesse aqui a monografia em PDF

%d blogueiros gostam disto: