PERCEPÇÕES DOS DESLOCAMENTOS CONTEMPORÂNEOS NA NARRATIVA JORNALÍSTICA

Identidades em trânsito na narrativa jornalística: percepções dos deslocamentos contemporâneos de turistas e migrantes

Este estudo objetiva verificar como as experiências identitárias e culturais são vividas pelos sujeitos em trânsito – turistas e migrantes – a partir de suas representações pelas narrativas jornalísticas, tendo em vista que o jornalismo é um operador de (re)construções da realidade social. O caminho teórico percorrido para tanto pauta-se nos conceitos de construção social da realidade, representação, identidades, turismo, jornalismo, hospitalidade, cidade e cidadania. Para empreender a pesquisa acerca destes temas utiliza-se conceitos de autores como Peter Berger, Thomas Luckmann, Erving Goffman, Stuart Hall, Homi Bhabha, Nelson Traquina, Francisco Ortega, Susana Gastal, Paulo Freire, entre outros. A pesquisa recorre a metodologia da Análise de Conteúdo semântica, com base em Laurence Bardin, para realizar as inferências acerca do material empírico com base no referencial teórico proposto. Para isto são analisadas reportagens de capa sobre Nova York da revista Viagem e Turismo, da editora Abril, e entrevistas de imigrantes do livro-reportagem Nova York do Oiapoque ao Chui: relatos de brasileiros na cidade que nunca dorme, de autoria da jornalista Tania Menai, editado pela Casa da Palavra. O conteúdo submetido à análise focou-se nas categorias Origem, Destino e Hibridismo Cultural. A partir disto foi possível notar aspectos da construção identitária do estrangeiro e da nação, bem como refletir sobre as interações sociais de hospitalidade no contexto da cidade, suas potencialidades – dentre as quais a aquisição de uma cidadania intercultural – e formas de representação na narrativa jornalística.

Débora de Paula Falco

Acesse aqui a dissertação em pdf

%d blogueiros gostam disto: