REINVENÇÕES SUBJETIVAS DOS IMIGRANTES ANGOLANOS NO BRASIL

Um pé lá, outro cá: as reinvenções subjetivas dos imigrantes transnacionais angolanos no Brasil

O presente trabalho tem por objetivo, examinar os modos de subjetivação construídos por
meio da migração, particularmente orientados pela perspectiva do transnacionalismo, a qual,
fundamentalmente, procura focalizar os efeitos que as práticas dos imigrantes transnacionais
produzem no nível da subjetividade dos sujeitos transmigrantes. O fenômeno do
transnacionalismo não é um fenômeno novo, contudo, ganha visibilidade em virtude das
facilidades oferecidas pelas tecnologias de informação, seguidas de outras importantes
transformações ocorridas nas sociedades industriais e pós-industriais e, neste sentido, ele
representa um campo novo de pesquisa, que trata de uma diversidade de atividades e
comunidades que transpõe as fronteiras nacionais. Transmigrantes são, portanto, pessoas que
vivem praticamente duas vidas: falam duas línguas, possuem casas em dois países e
constroem seu cotidiano por meio de contatos transnacionais regulares. Tais atividades
abarcam uma grande diversidade de ações (econômicas, políticas e socioculturais). A proposta
metodológica deste estudo está respaldada na etnografia crítica, apoiada nas epistemologias
pós-coloniais. O trabalho de campo consistiu em uma imersão no quotidiano da comunidade
diaspórica angolana em São Paulo, de modo a acompanhar de perto as experiências da
mesma, adentrar na convivência e estabelecer relações junto dos restantes membros,
participando de diversas atividades realizadas pelos imigrantes. Também foram realizadas
entrevistas como procedimento de suporte às observações, oferecendo, em muitos casos,
elementos complementares às observações efetuadas no cotidiano. As principais conclusões
deste trabalho resumem-se nas seguintes ideias: o fenômeno da imigração e a experiência da
transnacionalidade, atualmente, são favorecidos pelas novas possibilidades de comunicação,
propiciadas pelas tecnologias contemporâneas; a transmigração suscita a emergência de novas
dinâmicas no processo de subjetivação dos imigrantes, que precisam ser mais bem
compreendidos no campo da Psicologia, em suas articulações. Por fim, reivindica-se a criação
de uma categoria de análise do fenômeno da transnacionalidade à luz da Psicologia, aqui
designada por campo psicossocial transnacional.

Felizardo Tchiengo Bartolomeu Costa

Acesse aqui a monografia em PDF

%d blogueiros gostam disto: