AUTORREPRESENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO MIDIÁTICA DE SENEGALESES EM DIÁSPORA

Mídias e migrações: a representação de si e a representação midiática da identidade senegalesa em diáspora

Esta dissertação se propôs a investigar a autorrepresentação da identidade senegalesa em diáspora a partir dos usos sociais da internet por sujeitos migrantes no contexto brasileiro contemporâneo. Buscamos compreender os novos fluxos migratórios ambientados no Brasil e as representações midiáticas através de um percurso teórico-metodológico acerca das noções de usos sociais dos meios (neste caso, da internet), além das conceituações a respeito de identidade/diferença, representações e migrações (a partir do aporte teórico dos estudos culturais britânicos e latino-americanos). Realizamos uma combinação de procedimentos metodológicos que possibilitassem a aproximação ao sujeito migrante combinando entrevistas presenciais com a observação online dos perfis desses migrantes na rede social online Facebook (por ser a plataforma digital que, segundo nossa observação exploratória, é a mais usada pelos migrantes), focando na autorrepresentação das identidades senegalesas em diáspora. Diante desses dois eixos de observação a respeito da representação da identidade senegalesa em diáspora, buscamos refletir sobre a apropriação do espaço midiático pelos migrantes, bem como a criação de novos espaços de mídia. Sendo assim, desenvolvemos como hipótese a noção de que a representação da identidade senegalesa pode levar tanto à manutenção de estereótipos baseados nas diferenças (culturais, étnicas, religiosas, entre outras) quanto à promoção de aproximações interculturais que superem alguns problemas ligados à cidadania. Através desta pesquisa, identificamos categorias de representação (através das entrevistas e observações) que geraram reflexões a respeito da relação entre a webdiáspora e a autorrepresentação da identidade senegalesa em experiência migratória.

Nathália Drey Costa

Acesse aqui a monografia em PDF

%d blogueiros gostam disto: