Posts Recentes

  • # em pauta

    PREVENÇÃO SIM. ALARMISMO NÃO

    Alarmismo não é sinônimo de prevenção. Pelo contrário. Alarmismo gera pânico e impede a gestão racional e eficiente do risco ou da crise. Alarmismo excessivo reflete medo arcaico e ressuscita o instinto de horda.

    Aliás, há de se perguntar se a preocupação com a saúde pública não passa de álibi para liberar nosso inconsciente racista e intolerante. Onde acaba o perigo real e onde começa a ameaça imaginária?

    Propostas autoritaristas como a de maior controle nas fronteiras, por exemplo, só irá alimentar a corrupção, aumentar o lucro dos coiotes e dificultar o acompanhamento de eventuais casos da doença.

    Nem a fortaleza européia nem o aparato securitarista norte-americano conseguem coibir as migrações transnacionais.

    O tratamento consequente dos fluxos humanos não precisa prescindir dos valores democráticos e dos princípios universais de direitos humanos. E, além de nos poupar aviltamentos inúteis, pode se revelar um eficiente instrumento para remediar à propagação de todos os vírus – inclusive o mais pernicioso e destrutivo dentre eles: o vírus do ódio e da intolerância.

    Veja a nossa análise completa..

  • ESTUDAR EM CRICIÚMA

    Unesc oferece vagas em 23 cursos para estudantes estrangeiros. Inscrições para processo seletivo encerram dia 31.

  • REFUGIADOS E BARRADOS EM NÚMEROS

    2014 registra quase 6.900 solicitações de refúgio. No mesmo período, 5.300 estrangeiros foram impedidos de entrar no Brasil. 

  • MISSÃO MULHERES MIGRANTES

    Missão Paz, que atende imigrantes e refugiados em SP, muda estrutura de atendimento.

  • PARANOIA SELETIVA

    E agora, vão exigir que brasileiros não viajem para o exterior?

  • EXPATRIADOS PARA O DESENVOLVIMENTO

    Empresas multinacionais investem cada vez mais no bem-estar de executivos que trabalham em outros países.

  • CONTRA A PERPLEXIDADE, A RAZÃO

    Como distinguir a preocupação verdadeira da manipulação retrógrada no atual cenário de desinformação generalizada?

  • ‘MAIS BRASILEIROS’ QUE OS NATIVOS

    Eleições deste ano tiveram 111 candidatos nascidos em outros países.

  • PROTEÇÃO EM REDE

    Representantes de mais de 40 entidades que atuam com migrantes e refugiados em todo o Brasil comprometeram-se a ampliar os esforços para a integração destas populações no país.

  • SOLTANDO A LÍNGUA

    Sto. André forma turma de haitianos em português para estrangeiros.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.862 outros seguidores