XENOFOBIA EM ALTO SOLIMÕES

Márcia Maria de Oliveira, pesquisadora do Grupo de Estudos Migratórios da Amazônia (GEMA – UFAM), denuncia, nesta nota, a utilização odiosa das redes sociais para a propagação de xenofobia com requintes racistas e discriminatórios aos migrantes peruanos que vivem em São Paulo de Olivença, importante cidade na Região do Alto Solimões no Amazonas.

Diz a nota:

“Um grupo de São Paulo de Olivença, importante cidade na Região do Alto Solimões no Amazonas, vem utilizando as redes sociais do Facebook para disseminar a xenofobia aos migrantes peruanos que vivem na região.

O grupo foi criado no Facebook como o título 100% Sangue e Raça Paulivense (acesse clicando aqui) e conta com mais de 800 seguidores registrados na página. A moderadora do grupo é a professora da rede pública Simone Carvalho e, segundo as informações da página web (acesse clicando aqui) trabalha na Escola Estadual Nossa Senhora da Assunção. Na qualidade de moderadora, ela coordena o debate altamente xenófobo com requintes racistas e discriminatórios tendo como alvo os peruanos e suas familias.

Os comentários postados, especialmente no dia 31 de março são um convite à intolerância correlata. Dirigem-se aos peruanos em tom pejorativo classificando-os como “los hermanos”. Alguns comentários expressam alto grau de xenofobia incitando os membros ao rechaço. Em outros comentários optam pela sutileza do discurso indireto.

Este fato traz à tona um conflito relativamente antigo nesta região formada eminentemente por migrantes de diversas origens e contextos, dentre eles os peruanos. Se por um lado o grupo insiste no rechaço, por outro, boa parte da dinâmcia social e econômica dos mnicípios do Alto Solimões depende, direta e indiretamente do trabalho destes migrantes, especialmente os profissionais da área da saúde. Também é visível a forte presença dos peruanos no comércio local. São eles que dinamizam o mercado com seus estabelecimentos comerciais e com a contratação de trabalhadores nacionais.

Entretanto, os internautas coordenados pela Profª. Simone Carvalho, parecem ignorar todas as importantes mudanças resultantes da chagada dos migrantes na região e sua integração com a sociedade acolhedora, optando pelo discurso da intolerância alimentado pela ausência da análise crítica, do respeito mútuo e da convivência fraterna. Trata-se de um conflito completamente irracional como irracional é a postura xenófoba propagada nesta rede social. Diante dos fatos, a reação da comunidade peruana tem sido de constrangimento total.

Esta situação fere os princípios dos Direito Humanos destas pessoas e representa uma afronta à democracia e à Constituição Brasileira, o que exige providências imediatas por parte das autoridades e instituições, especialmente a Polícia Federal responsável pela investigação e punição de crimes virtuais nesta modalidade. É o mínimo que se pode esperar mediante as provas escritas e publicadas na referida rede social”.

Márcia Maria de Oliveira
Pesquisadora do Grupo de Estudos Migratórios da Amazônia – GEMA – UFAM



Categorias:imigrantes

Tags:

%d blogueiros gostam disto: