AJUDA PARA SÍRIOS NO BRASIL

Iniciativa da Adus e do Icarabe visa auxiliar refugiados que estão na capital paulista. Necessidades vão de móveis à inserção no mercado de trabalho.

O Instituto de Reintegração do Refugiado (Adus) e o Instituto da Cultura Árabe (Icarabe) lançaram esta semana uma campanha para auxiliar os refugiados sírios que estão em São Paulo. O objetivo é engajar principalmente a grande comunidade de origem árabe existente na cidade.

A campanha para ajudar os refugiados sírios está inserida dentro do programa Visita Amiga, organizado pela Adus. No programa, voluntários visitam indivíduos ou famílias refugiadas e fazem um levantamento de suas necessidades.

“Temos atendido muitos sírios. Cada vez que é feita uma visita, o voluntário volta com uma demanda. Muitos precisam de vagas de emprego, aulas de português, etc.”, conta Marcelo Haydu, diretor-executivo da Adus. A ONG também auxilia os refugiados na busca por trabalho.

Atualmente, 80 sírios são atendidos pelo Visita Amiga. Outra necessidade apontada por Haydu são lugares para que os sírios possam morar, ainda que temporariamente. “Temos alguns espaços de acolhimento no centro de São Paulo, que geralmente são vinculados à Igreja Católica”, explica. A maioria dos sírios que chega ao Brasil são homens solteiros ou casais com filhos.

Haydu conta que a campanha não tem uma duração específica, já que o atendimento aos sírios é contínuo, se estendendo a novos refugiados que chegam ao país. Segundo ele, a parceria com o Icarabe visa engajar a comunidade árabe que existe em São Paulo. “A comunidade árabe poderia ser uma parceira grande para ajudar as pessoas que estão aqui”, destaca.

Heloísa Dib, secretária-geral do Icarabe, ressalta que nem todos os sírios que chegam ao Brasil são de famílias pobres. Alguns têm formação universitária, mas que precisam aprender português e tirar carteira de trabalho para conseguir emprego. “Nós todos estamos tentando dar um apoio”, diz.

Quando estes refugiados conseguem um lugar para morar acabam também precisando de móveis para a casa. “Eles precisam de cama, fogão, etc. Qualquer coisa que venha é super bem-vinda”, ressalta. Como muitos casais têm filhos, também são aceitos brinquedos, livros, roupas infantis, fraldas, alimentos e outros itens de consumo diário.

As doações serão retiradas pela Adus na casa do doador e levadas diretamente aos refugiados. A ONG conta com um carro pequeno para fazer o transporte dos itens e também está em busca de um veículo maior para auxiliar nesta tarefa.

A secretária-geral do Icarabe reforça, porém, a necessidade dos refugiados encontrarem trabalho. “O que eles precisam é de emprego. Eles estão desesperados”, conta. Ela diz ainda que está procurando por membros da comunidade árabe que possam empregar estes refugiados. “A ideia é fazer uma corrente [de ajuda]”, completa.

Serviço

Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelos e-mails apoiorefugiados@icarabe.org e marcelo.haydu@adus.org.br, ou pelo telefone (11) 94744-2879 (Marcelo Haydu)
Também são aceitas doações em dinheiro

Aurea Santos

(ANBA – 21/09/2014)



Categorias:refugiados

%d blogueiros gostam disto: