LUTA, RESISTÊNCIA E EXPRESSÃO

Dezembro é o mês do Imigrante. Marcha e Mostra Cultural são algumas das manifestações relacionadas à data.

Marcha

Domingo, 07 de dezembro, é dia da 8ª Marcha do Imigrante, organizada pelo Centro de Apoio ao Migrante (CAMI), a Pastoral dos Migrantes, a Coordenadoria de Políticas para Migrantes, entre outros movimentos sociais. A saída está marcada para 9h da Praça da República. A passeata vai pedir o fim da violência contra o imigrante, sobretudo a exploração de mão de obra, a escravização, o tráfico de pessoas e o assédio moral por procedência internacional, o que é crime pela Constituição Brasileira.

O ato lembra o Dia Internacional do Migrante, proclamado em 2000 pela Organização das Nações Unidas (ONU) para ser comemorado em 18 de dezembro.

A violência sofrida pelos imigrantes no Brasil é agravada devido às barreiras de idioma, falta de informações e xenofobia, que tornam estas pessoas mais vulneráveis à escravidão, tráfico de pessoas, assédio moral e outras questões trabalhistas e sociais. Além disso, a manifestação deve ressaltar os problemas do Estatuto do Estrangeiro que, criado durante a ditadura militar, em 1981, tem como foco a “segurança nacional” e encara os imigrantes como ameaças.

Para as mulheres, a questão é ainda mais delicada, já que as barreiras são aprofundadas por questões de gênero que, não raro, resultam em violência doméstica e discriminação no ambiente de trabalho. Por isso, para o ato deste ano, foi articulado também um Bloco de Mulheres que dê visibilidade a estes problemas.

Cultura

Mas, ‘Imigração’ també rima com cultura. Assim, para quem deseja conhecer os sabores das culinárias dos povos que habitam São Paulo, será realizada no dia 13 de dezembro, um sábado, a Feira Latina, no Largo da Batata, em frente ao metrô Faria Lima. Além das delícias gastronômicas, haverá artesanato e música latino-americana. Já estão garantidos pratos e tragos cubanos, colombianos, mexicanos, argentinos e bolivianos.

As recentes denúncias de imigrantes bolivianos tratados como escravos em São Paulo assustam a sociedade e chamam a atenção para a situação de fragilidade de quem vem de outro país para o Brasil em busca de uma vida melhor.

Para dar mais espaço a esta importante parcela da população, este mês de dezembro é dedicado ao imigrante, já que em 18 de dezembro comemora-se o Dia Internacional do Imigrante. Para celebrar a data, São Paulo tem neste mês uma mostra artística, uma marcha e uma feira que tem o imigrante como foco.

Não custa nada lembrar que o Brasil é um país formado por diversas etnias e povos vindos de todas as partes do mundo. Portanto, o respeito ao outro e a sua cultura é fundamental.

O peso da nova geração de imigrantes pode ser representada pelas 3.239 crianças estrangeiras que ensinam na rede municipal de ensino de São Paulo, das quais 70% são bolivianas, segundo a Prefeitura.

Mostra

Para dar visibilidade aos imigrantes e colocar a sociedade para refletir sobre sua importância e direitos, está ocorrendo a 1º Mostra Cultural Dezembro Imigrante nos CEUs da capital paulista. Haverá atividades como seminários, cursos, oficinas, peças de teatro, rodas de conversas, exposições e shows.

Elas acontecem nos CEUs Aricanduva, Lajeado, Paz, Quinta do Sol e São Rafael, Auditório da Diretoria Regional de Educação (DRE) Freguesia do Ó/Brasilândia, Auditório da SubPrefeitura V. Maria/Guilherme, Câmara Municipal de São Paulo, Galeria Olido, Praça Kantuta e na EMEF Dona Angelina Maffei Vita, na Casa Verde, zona norte da capital paulista.

Uma das atrações é a peça Caminos Invisibles… La Partida, da Companhia Nova de Teatro. Com dramaturgia de Carina Casuscelli, que também dirige a obra ao lado de Lenerson Polonini, a peça tem no elenco atores brasileiros e bolivianos e conta a história de quem precisa deixar seu país em busca de melhores condições de vida. A obra ainda mostra a escravização de bolivianos pela indústria da moda.

Miguel Arcanjo Prado
(editado)

(R7 – 01/12/2014)



Categorias:imigrantes

%d blogueiros gostam disto: