A CHINA MADE IN SAARA

Filme com Regina Casé, ‘Made in China’, inspira roteiro oriental no Rio de Janeiro.

Há quem diga que só no Brasil os imigrantes chineses se misturam. No cinema, a comédia ‘Made in China’, que acaba de estrear, prova isso em um dos cenários cariocas mais democráticos: a Saara (Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega). Mas, além desse comércio no Centro, basta caminhar um pouco pelas ruas do Rio para sentir a cultura daquele lugar misturada à nossa. Seja através do sabor da culinária tradicional do Chon Kou, em Copacabana; do som do karaokê que rola na Associação Cultural Chinesa, na Tijuca, ou no filme protagonizado por Regina Casé, a cultura desse povo resguardado já faz parte da nossa rotina.

“Muita gente estuda isso. Porque em todos os lugares do mundo eles criam um cantinho separado, chamado Chinatown”, comenta Regina, que, no longa dirigido por seu marido, Estevão Ciavatta, contracena com comerciantes chineses da Saara. Na trama, ela é Francis e tenta salvar a loja do árabe para quem trabalha do risco de falência trazido pela concorrência chinesa.

Fora da ficção, a vizinhança da Saara convive bem, e, entre lojas de brasileiros, árabes e judeus, é possível ser atendido com sotaque mandarim e levar um pouco da China para casa. Bibelôs, dragões, vasos e toda a sorte de objetos saem a preços tão camaradas em estabelecimentos como a Oriente Presentes, que reforçam a famosa expressão ‘negócio da China’. Já em mercearias como a Mei Jo, no Flamengo, dá para comprar dos populares biscoitos da sorte a ervas exóticas.

“Quando estava filmando, me perguntei muito se era viagem minha que nunca haveria uma Chinatown aqui no Brasil. Foi quando um amigo me deu um santinho com o título: ‘Povo Chinês da Umbanda’. Aí eu pensei: meu feeling não está tão longe da realidade!”, conta Ciavatta. Animada, Regina faz coro e emenda: “Esse santinho é o auge da mistura! É o pós-sincretismo!”

O mesmo clima é transmitido em passagens do filme onde Francis leva a vizinha chinesa à Igreja de São Jorge e tenta aprender mais sobre a religião dela. “O filme retrata a geração de imigração anterior (árabes e judeus) aceitando essa nova leva de imigração. Porque, com certeza, eles enfrentaram as mesmas dificuldades e preconceitos”, define o diretor, apoiado pela atriz: “Quanto mais você se mistura com o outro, menos medo, violência e intolerância vão existir.”

Chineses à moda brasileira

O cenário da comédia ‘Made in China’ é a popular Saara. O resultado do filme dirigido por Estevão Ciavatta não é diferente. Ele consegue recriar o clima descontraído do lugar em uma comédia leve, que faz rir e mostra a capacidade dos brasileiros de acolher imigrantes e se misturar às novidades.

Com a chegada de comerciantes chineses à Saara, Francis (Regina Casé) vê suas vendas despencarem. Isso porque a loja do árabe (Otaviano Augusto) para quem ela trabalha não consegue concorrer com os preços dos novos vizinhos.

Entre o romance com Carlos Eduardo (Xande de Pilares) e o desafio de salvar seu emprego, ela trama uma maneira de entender os chineses recém-chegados e salvar a própria pele. Com poucos deslizes, ‘Made in China’ é um bom programa para toda a família.

Um pouco de lá 

ASSOCIAÇÃO CULTURAL CHINESA DO RIO DE JANEIRO

Fundada em 1984, abriga o restaurante Primeira Pa, que funciona de ter a dom, das 11h às 22h, onde é possível encontrar pratos como o pato laqueado (R$ 160), acompanhado de panqueca, cebolinha e molho próprio, que serve até quatro pessoas. Há também karaokê com músicas chinesas todos os sábados. Rua Gonçalves Crespo 450, Tijuca (2293-5559).

CINEMA CHINÊS
Títulos da sétima arte chinesa são encontrados em locadoras como a Cavideo. Entre os mais alugados de lá, está o ‘O Clã das Adagas Voadoras’, de Zhang Yimou, filme baseado em uma lenda chinesa. Na Paradise Vídeo também é possível achar longas como ‘O Retorno do Dragão’, dirigido por Hark Tsui e com Jet Li no elenco. Cavideo. Rua Voluntários da Pátria 446 (2266-2239). R$ 6 (aluguel do DVD). Paradise Vídeo. Rua Figueiredo de Magalhães 581, Copacabana (2257-2315). R$ 5 (aluguel do DVD).

CULINÁRIA TRADICIONAL
Entre uma decoração típica e garçons orientais, é possível se sentir em território chinês em plena Copacabana. Principalmente ao saborear o prato batizado de Ninho de Passarinho (R$ 65, para dois) — uma cesta de batata palha com camarão, frango, lula, carne, vegetais e ovo de codorna mergulhados em um molho da casa. Chon Kou. Avenida Atlântica 3.880, sobreloja, Copacabana (2287-3956). Todos os dias, de meio-dia a meia-noite.

CULINÁRIA CONTEMPORÂNEA
O P.F. Chang’s incorpora toques novos a pratos tradicionais da culinária chinesa. Um exemplo é o Dan Dan Noodles (R$ 44), macarrão chinês combinado com frango, preparado no wok em um molho à base de shoyu e especiarias, acompanhado com fatias de pepino e broto de feijão. Casa Shopping. Avenida Ayrton Senna 2.150, Barra da Tijuca (2108-6351). De segunda a quinta, de meio-dia às 23h. Sexta e sábado, de meio-dia a meia-noite. Domingo, de meio-dia às 22h.

MERCADO MEI SIM
Vende produtos para um belo almoço ou jantar que vão de alga-marinha e cogumelos a comidas exóticas para os brasileiros, como ameixa salgada e sopa de arroz-doce. Rua Barão de Mesquita 456, Tijuca (3238-5838). De ter a dom, de 9h as 20h.

MERCEARIA MEI-JO
Lugar perfeito para quem quer levar para casa produtos tipicamente chineses, entre eles chás diversos, biscoitos da sorte, bifun e lichia em calda. Rua Marquês de Abrantes 2.019, loja C, Flamengo (2551-3051). De terça a sábado, das 9h às 7h. Domingo, de 9h às 6h.

PASTELARIA DO CHAN
Conhecidas como ‘China’ por causa de seus donos e atendentes — normalmente o proprietário e sua família —, essas lojas estão por toda a cidade. Na Pastelaria do Chan, por exemplo, o salgado e o caldo de cana saem por R$ 5. Rua dos Andradas 31, Centro. De segunda a sábado, de 8h às 19h.

SAARA
O comércio chinês está superpresente no local, com lojas como a Oriente Presentes, onde encontra-se de tudo para a decoração da casa. Tem bonequinhas, dragões, vasos chineses, pratos pintados, além de dicas baseadas no feng-shui — técnica milenar chinesa de harmonização dos ambientes. Rua Senhor dos Passos 46, Centro (2222-0351). De segunda a sexta, de 9h às 18h. Sábado, de 9h às 13h30.

TAI CHI CHUAN
A Federação de Tai Chi Chuan do Rio de Janeiro costuma divulgar uma agenda de eventos da arte marcial. Neste fim de semana, o mestre Lau ministra aula aberta ao público. Sesc Tijuca. Rua Barão de Mesquita 539, Tijuca (3238-2164). Amanhã, das 9h às 11h. Grátis. Para saber mais sobre eventos, consulte: http://www.ftccrj.org.br.

TEMPLO BUDISTA FO GUANG SHAN
Lá, é possível conhecer melhor o budismo, religião milenar muito forte na China. Também há aulas de ioga aos domingos, das 10h às 11h30 (R$ 30) e meditação aos sábados, às 11h30 (R$ 60). Rua Itabaiana 235, Grajaú (2520-9058).

VISTA CHINESA
Construído em 1903, a mando do prefeito Pereira Passos, o mirante imita um pagode (típica construção chinesa), em homenagem aos imigrantes da China que chegaram ao Rio no século 19. Floresta da Tijuca, Alto da Boa Vista.

Karina Maiai

(O Dia – 07/11/2014)



Categorias:diásporas

%d blogueiros gostam disto: