PROMESSAS…

Polícia Federal em MS promete melhorar o atendimento aos estrangeiros.

O superintendente da Policia Federal em Mato Grosso do Sul, Edgar Paulo Marcon, informou que o atendimento aos cidadãos estrangeiros no setor de imigração na delegacia de Ponta Porã deverá ser aperfeiçoado. Segundo ele, a principal medida será deslocar mais servidores para fazer o atendimento nos finais de semana e feriados.

A medida atende uma solicitação do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã, Eduardo Gauna, que visitou o superintendente da Polícia Federal na manhã de terça-feira. Eduardo estava acompanhado por dirigentes do “Ponta Porã sem Fronteiras C&B”, Anderson Carpes e Miguel Moraez. Estavam na reunião os delegados Chang Fan, delegado regional executivo da PF e Flávia Renata Matos, delegada responsável pelo setor de imigração.

A solicitação encaminhada por Gauna ao superintendente da PF também era um pedido especial do presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero, Pedro Bondiman e pelos representantes dos consulados de Brasil e Paraguai, nas cidades de Pontas Porã e Pedro Juan.

“Procuramos o superintendente da Polícia Federal porque recebemos muitas reclamações das pessoas que, em trânsito pelo Brasil, precisavam regularizar a documentação junto à PF. Ocorre que, nos finais de semana e feriados, o atendimento é feito na delegacia que não oferece as condições adequadas para receber os cidadãos. As pessoas ficavam expostas ao sol forte e à chuva.

Fomos informados que um dos motivos para a demora no atendimento e, consequentemente o desconforto para os cidadãos, é que apenas um agente tinha que atender e, quando ocorria um flagrante de apreensão ou prisão, o mesmo precisava se deslocar para atender a ocorrência policial, deixando de fazer o atendimento aos estrangeiros, principalmente paraguaio que entram diariamente no território nacional.

Temos conhecimento de casos em que, moradores de Pedro Juan Caballero, se sentiram obrigados a entrar no Brasil para atender situações de urgência como doença na família, sem a devida autorização, correndo riscos de terem problemas de ordem diplomática”, explicou Eduardo Gauna.

O presidente da ACEPP faz questão de destacar o desprendimento do superintendente da Polícia Federal, Dr. Edgar que o atendeu de maneira cortês e rápida, ouvindo a solicitação e garantindo a solução para o problema. “O superintendente demonstrou possuir todos os requisitos necessários que norteiam a postura dos que ocupam cargos no serviço público. Só temos que agradecer a ele por esta medida que, sem dúvida, vai beneficiar milhares de pessoas, a maioria, de nacionalidade paraguaia”, enfatizou Gauna.

(Diário MS – 29/01/2015)



Categorias:imigrantes

%d blogueiros gostam disto: