BRASIL DO ÓDIO, BRASIL DO AMOR

Campanha nas redes sociais arrecadou R$ 4,8 mil para custear viagem de mulher de haitiano baleado.

A mulher do haitiano Chrisner Elveus, de 38 anos, que ficou paraplégico após baleado na porta de casa, em novembro do ano passado, em Cuiabá, deve chegar à capital no dia 6 de março para cuidar do marido. A viagem de Joselande Pierre Jules Elveu está sendo custeada com um dinheiro arrecadado por amigos do marido em uma campanha nas redes sociais.

Até a semana passada, R$ 4.822 tinham sido arrecadados. A passagem emitida na quinta-feira (28/01) custou R$ 3.803. O dinheiro restante deverá ser utilizado para custear alguns gastos da esposa do haitiano quando ela estiver na capital.

O intérprete Rafael Lira, idealizador da campanha, contou que estava pessimista e que o resultado foi uma surpresa. “É a primeira vez que faço algo do tipo e no começo não tinha tanta fé. Cheguei a pensar que teríamos que arrumar outra maneira porque não iríamos conseguir. Arrecadar uma quantia maior do que precisávamos superou muito minhas expectativas. Fiquei muito feliz”, revela.

Ele avalia que a campanha tomou grandes proporções após ser divulgada na imprensa. “A maioria [dos doadores] nunca falou comigo. Gente do país inteiro contribuiu. Chegamos a receber R$ 600 de um homem do sul do país, região onde não conheço praticamente ninguém”, relata.

Chrisner está internado desde o dia 30 de novembro no Pronto Socorro Municipal de Cuiabá. Ele chegou a receber alta dos médicos, mas acabou contraindo pneumonia e deve ficar na unidade de saúde até ser curado da doença.

A mulher de Chrisner deve ficar no Brasil por pelo menos seis meses, período que servirá para o haitiano se recuperar e ter as mínimas condições de uma melhor locomoção. Ele explica ainda que, assim que sair do hospital, o estrangeiro deverá ser realocado para uma casa do Projeto Residência Inclusiva e que Joselande deverá se estabelecer no Centro de Pastoral para Migrantes, na capital.

O intérprete afirma ainda que tem conversado com Joselande por meio de um aplicativo de mensagens e que a haitiana ficou muito feliz com a notícia. “Ela nos agradeceu muito pela iniciativa. Seria um dinheiro que dificilmente ela conseguiria. Ela ficou apenas um pouco triste porque ainda falta um tempinho para a viagem, mas é mais por causa da vontade dela de ver o marido. Toda hora ela pergunta como ele está”, pontua.

Caso

O haitiano Chrisner, que está no Brasil há mais de dois anos, foi baleado no dia 22 de novembro. Ele estava na frente de uma quitinete onde morava, no Bairro Esperança, em Cuiabá, e conversava com amigos, também do Haiti, quando um motociclista passou pelo local disparando tiros contra a residência e contra os estrangeiros.

Um dos disparos acertou o haitiano e a bala ficou alojada na coluna dele. Ele foi internado no Pronto Socorro de Cuiabá ainda no dia do crime e chegou a ser liberado no dia 30 de novembro, mas passou mal e teve que retornar à unidade.

Integrantes de organizações sociais realizaram um ato em frente ao Pronto Socorro no dia 9 de dezembro pedindo a investigação do caso e afirmando que o crime poderia se tratar de xenofobia – aversão a estrangeiros.

(G1 – 02/02/2016)



Categorias:imigrantes

%d blogueiros gostam disto: