O FIM DE UMA ROTA

Abrigo montado no AC só vai receber imigrantes até março. Apoio aos imigrantes que chegarem ao estado deve ser mantido.

O abrigo para imigrantes montado dentro da Chácara Aliança, em Rio Branco, deve ser desativado até o final do mês de março. O principal motivo, segundo as secretarias de Desenvolvimento Social e de Direitos Humanos do Acre (Sejudh), seria a queda no número de imigrantes que entram no Brasil pela fronteira do Acre com o Peru. Até o final de janeiro, apenas 18 imigrantes estavam no local.

Em 2010 o Acre se tornou porta de entrada para imigrantes que buscavam no Brasil uma alternativa para melhorar de vida. Mais de 43 mil pessoas entraram no estado desde então, segundo dados do governo do Acre. O número de imigrantes que utilizavam a rota começou a diminuir a partir do segundo semestre de 2015, após a ampliação da emissão de vistos em Porto Príncipe, capital do Haiti.

“Até março se mantiver esse ritmo, inevitavelmente não faz sentido ter um abrigo. O ritmo de ingresso é muito baixo por causa da desativação da rota, é claro que teremos que fechar o abrigo”, explica o secretário de Direitos Humanos, Nilson Mourão.

Apoio deve ser mantido

Apesar da desativação do abrigo, segundo o secretário, a Sejudh e a Secretaria de Desenvolvimento Social do Acre (Seds), ambas responsáveis pelo abrigo, devem continuar dando apoio aos imigrantes que ainda entram no Brasil pelo Acre.

“O imigrante chega, recebe em Assis Brasil as informações que ele precisa, nos procura e vamos indicar o hotel e a alimentação mais baratas, e o que ele tem que fazer para retirar a documentação. Nós vamos orientando e ele então vai fazer o processo”, afirma.

Apesar do pequeno número de imigrantes instalados no abrigo, o secretário não soube precisar quantos imigrantes entram por dia ou por semana no Acre. Em matéria divulgada pelo G1 , Mourão disse que, apesar da redução, o abrigo iria ser mantido até junho deste ano.

“Isso confirma que a rota está desativada e com isso nós fecharemos o abrigo. Mas, permaneceremos dando apoio aos imigrantes de outra forma na Sejudh e na Seds funcionando como apoio e orientação”, justificou.

Viagem por conta própria

Ainda segundo o secretário, os imigrantes que chegarem ao Acre, serão informados ainda em Assis Brasil, cidade distante 342 km de Rio Branco, que não tem mais abrigo na capital. Ele confessa ainda que a grande parte dos imigrantes ficam no estado para retirar a documentação e esperar que a família ou amigos enviem dinheiro para seguir viagem.

Esses vão ter que encontrar seus caminhos ou seguirem para São Paulo, pro Sul ou ficarem aqui para arranjar trabalho. Mas eles estão seguindo naturalmente.

Emissão de vistos

Segundo o Itamaraty, em 28 de setembro de 2015 foi inaugurado em Porto Príncipe, em parceria entre a Embaixada do Brasil no Haiti e a Organização Mundial para a Imigração, um novo centro de atendimento para demandas de vistos de haitianos que querem ir ao Brasil.

Ainda segundo o órgão, em 2015, a média diária de vistos para haitianos foi de aproximadamente 78. As emissões de vistos têm prazos estipulados e seguem as resoluções normativas do Conselho Nacional de Imigração (CNIg).

Aline Nascimento

(G1 – 01/02/2016)



Categorias:imigrantes

%d blogueiros gostam disto: