MARCA DEFINITIVA

São Paulo terá festival árabe permanente. A iniciativa é da União Nacional das Entidades Islâmicas.

A partir dos dias 23 e 24 de abril, a capital paulista terá um festival árabe permanente aos finais de semana na Rua Oriente, ponto tradicional de comércio no bairro do Brás. De acordo com o diretor da iniciativa, Valdir Alves da Silva Júnior, o objetivo é colocar o festival no roteiro cultural da cidade, assim como ocorre com a feirinha da Liberdade, que oferece produtos da cultura japonesa aos finais de semana e recebe 100 mil visitantes.

O Festival Árabe será promovido pela União Nacional das Entidades Islâmicas (UNI) e terá, inicialmente, 100 tendas entre as ruas Monsenhor Andrade e Rodrigues dos Santos. Os produtos comercializados serão todos típicos árabes, como doces e salgados, artesanatos, roupas, lenços, tapetes, entre outros. Haverá, por exemplo, tenda com arte egípcia como estatuetas de reis e deuses do país árabe, papiros e peças em marchetaria.

Também haverá apresentações culturais típicas árabes todo final de semana, com música, dança ou outro tipo de performance, que acontecerá sempre em cima de um trio elétrico. No decorrer do dia, um DJ colocará músicas árabes para serem ouvidas quando não for algum momento de show ao vivo. De acordo com Júnior, a expectativa é que sejam recebidas entre 100 mil e 150 mil pessoas por final de semana.

No mês de abril, o festival vai tomar uma quadra da rua, mas aos poucos ele será ampliado. O objetivo é que tome toda a extensão da Rua Oriente, 1.600 metros, e tenha 640 tendas em um prazo de cerca de três meses. Ela vai acontecer aos sábados e também aos domingos, das 10 às 22 horas.

Júnior explica que o festival foi pensado inicialmente para promover a cultura árabe e também para ajudar os refugiados árabes que estão chegando no Brasil. Planejada por Júnior e pelo diretor cultural da UNI, Jamel Bacha, eles perceberam que também seria importante ajudar não apenas os refugiados, mas os brasileiros em geral que enfrentam desemprego. “Pode gerar renda para muitas outras pessoas”, afirma.

Para ter uma tenda no festival, é necessário pagar um aluguel de R$ 780 a R$ 1.080 mensais, segundo a localização. Com o pagamento, o empreendedor terá direito a uma tenda fornecida pela organização, com serviço de montagem e desmontagem, além de um ponto de luz e segurança.

Para quem não tiver condições de pagar o aluguel inicialmente, Júnior e Bacha farão um empréstimo solidário, sem juros, para pagar assim que o negócio for gerando renda. O crédito é parte de uma iniciativa pessoal dos dois, dentro de um projeto chamado Machine (www.projetomachine.com).

De acordo com o diretor do festival, as tendas que estrearão em abril, junto com o festival, já estão quase todas ocupadas, mas há vagas para quando a quantidade for ampliada. Júnior conta que dos espaços já reservados, cerca de metade será ocupada por refugiados.

A expectativa é o festival receba muitas pessoas da comunidade árabe, mas também os brasileiros em geral. “O brasileiro é muito aberto à cultura árabe”, afirma Júnior, lembrando ainda que os árabes vão se sentir em casa no festival. O evento tem apoio da Prefeitura Municipal de São Paulo e do governo do Estado de São Paulo.

Isaura Daniel

Serviço

Festival Árabe na Rua Oriente
Aos sábados e domingos, a partir de 23 de abril de 2016
Rua Oriente, entre as ruas Monsenhor Andrade e Rodrigues dos Santos
Bairro do Brás – São Paulo – SP
Das 10 às 22 horas
Mais informações: contato@festivalarabe.com.br
Site: http://www.festivalarabe.com.br/

(ANBA – 29/03/2016)



Categorias:diásporas

%d blogueiros gostam disto: