migração

Milton Hatoum: “O porto é um lugar uterino, onde abriga as nossas origens” 

Os que tentam descrever a migração convivem com o permanente desafio de trazer para o campo do simbólico aquilo que está sempre aquém na razão das palavras. Quem foi ou é migrante raramente sente que o descrito aos outros explica todo o vivido. Aquela ‘essência’ é guardada somente consigo, nas lembranças pessoais, nas nostalgias e afetos experimentados pelos olhos e pela carne.

Redescoberta

A primeira a chegar foi a preocupação com a sobrevivência – como ser camelô que vive do turismo no calçadão da praia de Copacabana em meio à pandemia? Afinal de contas, somos 3, somos 4, somos muitos. Como fazer para… Leia mais ›

A palavra do migrante

Em outubro de 2003, uma pequena embarcação carregada de migrantes somalis naufragou no mar Mediterrâneo, na costa da ilha de Lampedusa. Morreram treze pessoas, relata Igiaba Scego no romance autobiográfico Minha casa é onde estou (2018). A escritora italiana, nascida… Leia mais ›