EM NOME DO CORPORATIVISMO

Racismo e xenofobia contra os médicos cubanos no Amapá. O programa Mais Médicos levou ao estado 126 profissionais estrangeiros. 

O presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Amapá, Dorimar Barbosa, foi denunciado nesta terça-feira (07/10) pela prática de racismo contra médicos cubanos em um evento realizado na sede do CRM, em Macapá. O fato teria acontecido em junho, segundo o Ministério Público (MP) do Amapá, autor da denúncia. A ação penal tramita na 4ª Vara Criminal. O presidente do conselho se defende dizendo que o caso foi mal entendido.

O evento com os profissionais estrangeiros foi promovido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Participavam cubanos do programa Mais Médicos, do Governo Federal. De acordo com a denúncia, Dorimar Barbosa teria se exaltado ao descobrir que o auditório do CRM sediava um evento com médicos cubanos. O MP diz que o presidente do conselho “expulsou aos gritos todos os presentes, afirmando que havia sido enganado e que não aceitaria que tais médicos estivessem no local”.

A ação penal afirma que Dorimar Barbosa também teria desacatado a secretária municipal de Saúde, Silvana Vedovelli, quando ela teria tentado acalmá-lo. O presidente do Conselho de Medicina também responderá por desacato e ameaça aos médicos brasileiros que organizaram o evento.

“Há indícios claros da prática de crime de preconceito, em razão da origem estrangeira dos médicos que atenderam ao evento e que foram expulsos do local de forma humilhante”, frisou o promotor de Justiça Eder Abreu, um dos autores da ação.

O presidente do CRM informou que o pedido de retirada dos médicos do auditório do conselho não teve relação com a naturalidade dos estrangeiros.

“Essa questão foi resolvida com a secretaria de Macapá. O caso não tem nada a ver com racismo. O evento foi realizado no auditório do conselho sem autorização. O fato de os médicos serem cubanos não tem relação com o pedido de cancelamento do evento”, declarou o presidente, acrescentando que não houve prática de desacato por desconhecer quem é a secretária de Saúde de Macapá.

A Semsa rebateu a alegação do presidente do CRM dizendo que a pasta municipal tinha autorização por escrito para realização do evento no espaço. As chaves do local teriam sido até cedidas aos organizadores.

CRM X Mais Médicos

O Conselho Regional de Medicina do Amapá foi contra o programa de importação de médicos pelo Governo Federal. O CRM passou a emitir o registro aos profissionais estrangeiros depois de perder na Justiça Federal uma ação movida em setembro contra o programa Mais Médicos. O conselho pediu que não fosse obrigado a efetuar os registros provisórios dos médicos com graduação no exterior sem a comprovação de revalidação do diploma e certificado de proficiência em Língua Portuguesa.

Um mês antes de a ação ser ingressada na Justiça, uma comitiva de médicos do Amapá aderiu a um movimento em Brasília que pedia a revisão do programa do Governo Federal.

Em Macapá, atuam 35 médicos cubanos em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da área urbana e rural do município. Em todo o estado, o efetivo chega a 126 profissionais estrangeiros.

(CBN Foz – 08/10/2014)



Categorias:imigrantes

%d blogueiros gostam disto: