ABRAÇO SIMBÓLICO

Alunos estrangeiros são recepcionados na UFRGS.

Foi realizada, no dia 11 de fevereiro, a recepção aos alunos estrangeiros que chegam à UFRGS para cursar faculdade. Diversos integrantes da administração central estiveram presentes à reunião, que contou com a participação do reitor Carlos Alexandre Netto.

Em sua manifestação aos estudantes, o Reitor falou que “este abraço simbólico que vim dar em vocês é para desejar que os anos que vão passar aqui sejam inesquecíveis, tanto na Universidade como em Porto Alegre”. Destacou a importância do momento para todos os envolvidos e que esta é diretamente relacionada à relevância do Programa de Estudante da Graduação (PEC-G), que propiciou a vinda de todos e que é administrado pelos ministérios das Relações Exteriores e da Educação em parceria com instituições federais de ensino superior. O PEC visa a formar e qualificar estudantes oriundos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos bilaterais vigentes.

O encontro foi promovido pela Pró-reitoria de Graduação para que os estudantes de Angola, Cabo Verde, Bolívia, Equador, Colômbia, Gana, Gabão e Guiné Bissau possam conhecer todos os seus interlocutores na instituição e os setores a que podem recorrer sempre que necessitarem de algum tipo de ajuda. Além do Reitor e da pró-reitora de Graduação em exercício, Andrea Benitez, também foram apresentados aos jovens a Secretaria de Relações Internacionais, as pró-reitorias de Assuntos Estudantis e de Extensão, o Núcleo de Apoio ao Estudante, a Coordenadoria do Programa de Ações Afirmativas, o Departamento de Consultoria em Registros Discentes e a Comissão de Graduação de Cursos.

Os nove calouros internacionais estão contando, também, com o apoio de veteranos que chegaram a Porto Alegre há um ano ou mais. Vanito I. Vieiraca (Ciências Sociais), da Guiné Bissau, deu as boas-vindas aos novos colegas e falou do privilégio de estar na UFRGS. “Somos sortudos por termos a oportunidade de estudar nesta universidade, que é uma das melhores do Brasil, e precisamos fazer valer ao máximo essa vivência”, comentou.

Além de dar dicas sobre coisas básicas como a questão de vistos, Vanito falou aos jovens que todos eles têm o dever de ser protagonistas de suas vidas, seja dentro ou fora da instituição. À administração da universidade pediu que os alunos estrangeiros tenham mais visibilidade dentro da comunidade acadêmica, pois a integração e a interação sociocultural, bem como as experiências que surjam destas, são muito importantes para os seus países de origem e para o êxito do programa em si.

A equatoriana Katherine Freire Andrade (Madicina Veterinária) e o ganês Eric Karikari Darko (Biomedicina) têm o mesmo desejo de cursar mestrado e doutorado antes de retornar a seus países. Eric quer, inclusive, ter experiência profissional no Rio Grande do Sul para conhecer a prática antes de propor a implantação de grandes mudanças na área da saúde em Gana.

(CBN – 11/02/2015)



Categorias:estudantes

%d blogueiros gostam disto: