BOLSAS PARA ESTRANGEIROS

Pesquisadores visitantes, doutorado, pós-doutorado e pós-graduação. Algumas oportunidades para reforçar a internacionalização da universidade brasileira.

Pesquisador Visitante Especial

O Programa Ciência Sem Fronteiras, do governo federal, está com uma chamada aberta para bolsas de Pesquisador Visitante Especial (PVE), que visa atrair pesquisadores estrangeiros renomados para atuar no Brasil. A participação é aberta a candidatos de qualquer país e o envio das propostas pode ser feito até 15 de setembro.

Para se candidatar, os interessados precisam ter o título de doutor ou equivalente. É necessário apresentar um projeto de pesquisa voltado para cursos de pós-graduação no Brasil recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), instituição que está organizando a chamada para as bolsas. As pesquisas podem estar direcionadas a instituições de ensino superior ou centros e institutos de pesquisa e desenvolvimento, tanto públicos como privados.

As linhas de pesquisa para as propostas incluem diversas áreas abrangidas pelo Programa Ciência Sem Fronteiras, como petróleo, gás e carvão mineral; tecnologia aeroespacial; energias renováveis; computação e tecnologias da informação; tecnologia mineral; nanotecnologia e novos materiais; engenharias e demais áreas tecnológicas; entre outras.

É necessário que o candidato estrangeiro tenha um pesquisador brasileiro como parceiro. O próprio site do Ciência sem Fronteiras disponibiliza um link para que o pesquisador internacional possa encontrar uma parceria no Brasil. Brasileiros que residam no exterior também podem se candidatar.

O programa de bolsas para PVE tem duração de dois a três anos, com permanência mínima no Brasil de 30 dias e no máximo de 90 a cada ano de projeto, dividida em no máximo três visitas anuais com estadia mínima de 15 dias cada. Os selecionados receberão um auxílio-deslocamento limitado a três trechos de ida e volta por ano de projeto.

Os participantes também receberão uma mensalidade de R$ 14 mil e um auxílio à pesquisa de R$ 50 mil por ano de projeto. Poderá haver ainda o pagamento de cotas adicionais para o custeio de pós-doutorado no Brasil ou doutorado sanduíche (parte realizado no Brasil, parte no exterior).

Mais informações sobre a chamada para bolsas estão disponíveis em português e em inglês.

Doutorado e Pós-doutorado

CNPq e TWAS também apóiam pesquisadores estrangeiros interessados em realizar doutorado pleno, doutorado sanduíche ou pós-doutorado, no Brasil. Os interessados podem se inscrever até 28 de julho.
São ofertadas 30 bolsas de doutorado sanduíche, 20 bolsas de doutorado pleno e 10 bolsas de pós-doutorado para as seguintes áreas: ciências agrárias, ciências biológicas, medicina e ciências da saúde, química, engenharias, matemática e probabilidade e estatística, ciência da computação, física, astronomia e geociências, oceanografia.

Os candidatos interessados em submeter as propostas devem enviar arquivo com o projeto ao CNPq, por intermédio do Formulário de Propostas Online, disponível na Plataforma Carlos Chagas. Para concorrer é indispensável o preenchimento do Currículo Lattes.

Pós-graduação

Estudantes e pesquisadores estrangeiros interessados em realizar pós-graduação no Brasil têm oportunidades abertas por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI).

Estão disponíveis para jovens pesquisadores de países em desenvolvimento 30 bolsas de doutorado sanduíche, 20 bolsas de doutorado pleno e dez bolsas de pós-doutorado para as seguintes áreas: ciências agrárias, ciências biológicas, medicina e ciências da saúde, química, engenharias, matemática e probabilidade e estatística, ciência da computação, física, astronomia e geociências e oceanografia.

As inscrições vão até 28 de julho. A Chamada 9/2014 é uma parceria com a Academia Mundial de Ciências para Países em Desenvolvimento (Twas, na sigla em inglês).

Parceria com Moçambique

A agência brasileira também lançou edital que permite o acesso de estudantes moçambicanos ao mestrado no Brasil, este em parceria com o Ministério de Ciência e Tecnologia de Moçambique. As inscrições seguem até 4 de agosto e o proponente deve ter completado o curso de graduação.

Os candidatos devem pleitear vaga em programa de mestrado avaliado com conceito 4 a 7, segundo a classificação estabelecida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O programa de pós-graduação CNPq/MCT-Mz é uma cooperação educacional que busca incentivar o desenvolvimento de projetos de pesquisa em áreas relevantes e de interesse do governo de Moçambique, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do país e a ampliação de sua interação bilateral com o Brasil.

 



Categorias:estudantes

%d blogueiros gostam disto: