RAÍZES DA INTERNACIONALIZAÇÃO

50 anos do Programa PEC-G e 55 países participantes.

O Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G), que oferece vagas gratuitas em instituições de ensino superior brasileiras para estrangeiros que desejem fazer graduação no Brasil, está completando 50 anos e, para celebrar a data, o Ministério da Educação realizou, na semana passada, o Encontro Nacional do PEC-G.

O encontro teve dois objetivos: refletir sobre o que já passou e debater os desafios que ainda estão por vir.

“Se voltarmos 50 anos atrás, nos perguntamos como era possível pensar numa internacionalização com uma taxa de analfabetismo que era de mais de 50%”, comentou o secretário-executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa.

O PEC-G agrupa atividades e procedimentos de cooperação educacional internacional, preferencialmente com os países em desenvolvimento, com base em acordos bilaterais vigentes. Atualmente, recebe estudantes de aproximadamente 55 países. O foco é a formação e capacitação do estudante estrangeiro em curso de graduação no Brasil e seu retorno ao país de origem ao final do curso.

Também participaram do evento o secretário de Educação Superior do MEC, Paulo Speller, a diretora de desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino do MEC, Adriana Weska, e o diretor-geral do departamento cultural do Ministério das Relações Exteriores, George Torquato Firmeza, entre outras autoridades.

Programa

O PEC-G oferece oportunidades de formação superior a cidadãos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais. Desenvolvido pelos ministérios das Relações Exteriores e da Educação, em parceria com universidades públicas – federais e estaduais – e particulares, o PEC-G seleciona estrangeiros, a partir de 18 e preferencialmente até 23 anos, com ensino médio completo, para realizar estudos de graduação no país.

São selecionadas preferencialmente pessoas inseridas em programas de desenvolvimento socioeconômico, acordados entre o Brasil e seus países de origem. Os acordos determinam a adoção pelo aluno do compromisso de regressar ao seu país e contribuir com a área na qual se graduou.

Países beneficiados

África

1. África do Sul
2. Angola
3. Argélia
4. Benin
5. Cabo Verde
6. Camarões
7. Costa do Marfim
8. Egito
9. Gabão
10. Gana
11. Mali
12. Marrocos
13. Moçambique
14. Namíbia
15. Nigéria
16. Quênia
17. República Democrática do Congo
18. República do Congo
19. São Tomé & Príncipe
20. Senegal
21. Tanzânia
22. Togo
23. Tunísia

América Latina e Caribe

24. Antígua & Barbuda
25. Argentina
26. Barbados
27. Bolívia
28. Chile
29. Colômbia
30. Costa Rica
31. Cuba
32. El Salvador
33. Equador
34. Guatemala
35. Guiana
36. Haiti
37. Honduras
38. Jamaica
39. México
40. Nicarágua
41. Panamá
42. Paraguai
43. Peru
44. República Dominicana
45. Suriname
46. Trinidad & Tobago
47. Uruguai
48. Venezuela

Ásia

49. China
50. Índia
51. Líbano
52. Paquistão
53. Síria
54. Tailândia
55. Timor-Leste

 



Categorias:estudantes

%d blogueiros gostam disto: