NA ROTA DO MUNDO

Número de estudantes estrangeiros no Brasil cresce.

O número de estudantes brasileiros a caminho do exterior não para de subir, e um bom exemplo disso é a quantidade de conterrâneos que desembarcam na Irlanda todos os anos para aprimorar o inglês e em busca de oportunidades de trabalho. Mas, e o caminho inverso? Será que o Brasil também está na rota dos estudantes internacionais?

Se depender da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), isso não está longe de acontecer. A meta da empresa para este ano é preparar uma estratégia de ações para a promoção do Brasil no exterior. Esse material deve ser apresentado na NAFSA (Associação Internacional de Educadores), uma das mais relevantes conferências de intercâmbio do mundo, e que acontece entre os dias 24 e 29 de maio na cidade de Boston, nos Estados Unidos.

Expansão

Nos últimos oito anos o número de vistos concedidos para estudantes estrangeiros no Brasil mais que dobrou, passando de 5770 para 12547 apenas em 2013. Os números de 2014 são ainda mais animadores: de janeiro a agosto o Ministério das Relações Exteriores emitiu 11.341 vistos temporários para estudantes, contabilizando 760 a mais que no mesmo período em 2013.

Ainda assim, de acordo com uma pesquisa realizada pela UNESCO no último ano, o Brasil ainda está na retaguarda entre os países do BRICS, grupo que inclui Rússia, Índia, China e África do Sul, na hora de receber estudantes internacionais.

Entretanto, grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olímpiadas de 2016 têm colaborado para colocar o Brasil no centro das atenções. Isso, somado à lenta recuperação de alguns países diante da crise econômica de 2008, faz com que o Brasil seja visto por jovens qualificados de diversas áreas como uma grande oportunidade para engatar a carreira após o término dos estudos.

Além disso, a cultura, a natureza, o modo de vida do brasileiro e sua calorosa receptividade também atraem estrangeiros.

Perfil dos estudantes

De acordo com dados do Ministério das Relações Exteriores, colombianos, portugueses, franceses e angolanos estão entre as nacionalidades que mais procuram o Brasil como destino para estudo e trabalho.

Em 2013, a Belta (Brazilian Educational & Language Travel Association) divulgou uma pesquisa realizada com agências de intercâmbio no Brasil e o resultado mostrou que entre os cursos mais procurados pelos estrangeiros, além dos de graduação, estão o ensino médio, seguido pelos de português e programas de voluntariado.

Muitos também buscam oportunidades de estágio enquanto estão no país para adquirir mais experiência na área.

Vistos

O primeiro passo para o estrangeiro que quer estudar no Brasil é ser aceito por uma instituição de ensino. Isso pode ser feito por conta própria ou por meio de agências de intercâmbio, que cada vez mais estão criando programas específicos para alunos internacionais. Só então ele pode dar entrada no pedido do visto de estudante, que deve ser solicitado em seu país de origem por meio dos consulados e embaixadas brasileiras.

Em alguns casos não é necessário que o aluno saiba falar português antes de embarcar para cá, porém nos casos de graduação é exigido um certificado de proficiência na língua, chamado Celpe-Bras.

O visto é válido por um ano e existe a possibilidade de ser renovado. Nesse caso a solicitação deve ser feita um mês antes da data de expiração. Ele não permite que o estudante trabalhe no Brasil, mas em julho de 2014 uma ação normativa aprovada pelo governo brasileiro tornou menos burocrática a emissão dos vistos de trabalho para estrangeiros, que também inclui a contratação de estagiários em contratos de curta-duração.

Elizabeth Gonçalves

(e-Dublin – 20/02/2015)



Categorias:estudantes

%d blogueiros gostam disto: