MISSÃO HUMANITÁRIA

Universidade Federal do Paraná abre vagas para refugiados. As inscrições vão até o 13/11.

Estrangeiros refugiados podem se candidatar a cursar graduação na Universidade Federal do Paraná (UFPR) no ano que vem. A instituição de ensino vai receber até 13 de novembro inscrições de portadores de visto de refugiado ou humanitário que estavam fazendo graduação nos seus países e querem continuá-la no Brasil. No ano passado, a universidade paranaense já admitiu 11 estudantes nestas condições. A maioria era sírio, de acordo com informações do vice-reitor da UFPR, Rogério Andrade Mulinari.

O vice-reitor afirma que o Paraná é o segundo estado do Brasil com maior número de refugiados, atrás apenas de São Paulo, e a UFPR acredita que estes estrangeiros têm a contribuir com a economia do estado continuando seus estudos. “Em vez de disputarem um mercado secundário”, afirmou Mulinari por telefone à ANBA. Esse entendimento fez a instituição de ensino adotar a iniciativa. Os sírios são os que mais procuram as vagas da universidade, seguidos por haitianos e depois por africanos de diversos países e colombianos.

As vagas ocupadas pelos refugiados são aquelas que ficaram ociosas em função de transferência ou evasão de alunos. Por isso mesmo, explica o vice-reitor, não há um número fixo de vagas. O propósito da UFPR é que os que forem selecionados no edital aberto neste momento possam começa a graduação em 2016. Mas isso vai depender da disponibilidade de vagas em cada curso. “Pode ser que eles sejam aceitos, mas não possam iniciar agora, vão ter que esperar nova vaga”, explica o vice-reitor.

Os estrangeiros poderão entrar em cursos iguais aos que estavam cursando em seus países ou, caso não existam na UFPR, similares. Mulinari conta, por exemplo, o caso de uma candidatura de um graduando de Engenharia Aeronáutica. Como a instituição paranaense não oferece esse curso, ele teve a opção de optar por Engenharia Elétrica ou Mecânica. Para cada refugiado aprovado, será traçado um percurso acadêmico de adaptação, de acordo com o vice-reitor.

O estudante terá que fazer o curso de português para estrangeiros que a UFPR oferece e será acompanhado por um professor tutor e também por um estudante tutor, que o auxiliará com o que for necessário, principalmente com o idioma. “A notícia que tenho é que essas estratégias têm sido satisfatórias para a inclusão”, afirma Mulinari.

Para se candidatar, os estrangeiros precisam estar regularmente admitidos no Brasil na condição de refugiados ou com visto humanitário. Entre outros documentos, eles precisam entregar formulário preenchido, histórico escolar, passaporte ou documento equivalente, tudo diretamente na Sala do Projeto de Extensão “Migrações, Refúgio e Hospitalidade”, do Centro de Ciências Jurídicas da UFPR. Mulinari explica que nem todos são aprovados. Nem todos conseguem, por exemplo, demonstrar que estavam em curso no seu país.

Serviço
Seleção de refugiados para graduação na UFPR
Inscrições abertas de 14 de outubro a 13 de novembro de 2015
Para início de aulas em 2016 (se houver vagas)
Mais informações no edital

(ANBA – 16/10/2015)



Categorias:estudantes

%d blogueiros gostam disto: